Texto | Jaime Rocha

Encenação | Paulo Campos dos Reis

Dramaturgia | Jaime Rocha e Paulo Campos dos Reis

Interpretação | Miguel Moisés, Milene Fialho, Ricardo G. Santos, Philippe Araújo, Rute Lizardo, Clara Marchana, Catarina Rodrigues, Cirila Bossuet e Raquel Pereira (Projeto TEIAS)

Bailarina | Clara Marchana

Canto lírico | Catarina Rodrigues

Cenografia e Montagem | Paula Hespanha e Manuel Pedro Ferreira Chaves

Figurinos | Nuno Barracas

Videógrafo | Ricardo Reis

Assistência de encenação | Ricardo Soares

Desenho de luz | Paulo Campos dos Reis

Redes e site MUSGO Produção Cultural | Nuno Gervásio e Fábio Ventura

Fotografia | Pedro Francisco

Produção executiva | Regina Gaspar

Direção técnica e operação de som e luz | Show Ventura

Costureira | Carina Soares

Direcção de produção | MUSGO Produção Cultural

Coprodução | Efémero, Madrasta, MUSGO, RUGAS e teatromosca

Agradecimento especial | Hélia Correia, Nuno Cintrão, Bernardo Souto, Valdevinos Teatro de Marionetas

Promotor | Fundação Cultursintra FP

2021
Agamémnon

Da Trilogia da Guerra, de Jaime Rocha

Criações e co-produções

“Agamémnon” é a primeira peça de uma trilogia intitulada “A Trilogia da Guerra”, assinada por Jaime Rocha. A Grécia declara guerra a Tróia, após o rapto da grega Helena, mulher de Menelau, pelo troiano Páris. Estamos na Antiguidade Clássica. Agamémnon, Filoctetes e Aquiles, três dos maiores heróis gregos, são protagonistas desta saga que faz derramar muito sangue, desperta enormes paixões e mostra o homem nas suas facetas mais íntimas, comovedoras, filosóficas e animalescas. A partir destes mitos fundadores do teatro grego, uma Trilogia da Guerra, ao mesmo tempo tragédia e comédia, responde às preocupações, utopias, angústias, ideais não só do homem antigo, como também do homem contemporâneo.

Ao reconstruir estes mitos gregos, reflete-se também sobre como eles perduram no tempo e como se adaptam aos dias de hoje, como chegam até nós e são enquadrados no mundo moderno. De facto, a guerra nunca acabou, continua a ser uma presença constante e uma ameaça ainda mais mortífera, já que põe em causa a própria existência humana.

 

 

de 2 de setembro a 9 de outubro de 2021

quintas, sextas e sábados às 21h30


Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas, Sintra


Duração 90 min aprox.


M/ 16 anos


bilhetes em MEO BLUETICKET

“Valorizamos as dimensões
artística e de pedagogia teatral”

Rugas, Associação Cultural